«A desilusão de Pippo Baudo e a surpresa de Maria De Filippi. Não vejo minha filha há três anos.”

Na noite de terça-feira Le Iene volta com Belén Rodríguez -mesma praia, mesmo mar: Itália 1, 21h20- mas na liderança Teo Mammucari, 58 anos em 12 de agosto, uma filha de 14 anos chamada Julia (mantida por a ex-Velina de Striscia a notícia Thais Souza Wiggers, brasileira, 37), tem muitos outros projetos. Por exemplo, um filme.

Tente novamente? Em 2001, ele estrelou Bruges of the North, de Giovanni Veronesi, e foi um fracasso.
«Sim, e também o tinha previsto. Depois de ler o roteiro, imediatamente disse a Giovanni que um documentário sobre faisões teria mais espectadores. Foi uma história triste. Embora eu não pudesse recusar. Ele estava lá como diretor e atores como Gerard Depardieu, Paul Sorvino, Emmanuelle Seigner…».

E agora?
“Eu já escrevi, dirigi e estrelei tudo sozinho. Basicamente, fiz um minifilme de 30 minutos: Nunca é um erro. O resultado é cômico, mas também rende algumas lágrimas.”

Trinta minutos?
“Sim. A ideia é mostrar para alguns produtores e depois desenvolver um longa-metragem de verdade.”

E você mostrou para alguém?
“Ainda não. Assinei novamente para Le Iene e Tu Sì Que Vales: não posso fazer mais nada até junho. No entanto, pensei em mostrá-lo para Mediaset e Netflix. Por enquanto, vou deixar em a gaveta.”

Qual é a história?
“A de um homem que se levanta de manhã e se apaixona por uma mulher trinta anos mais jovem.”

Basicamente seu.
Sim, um pouco romantizado. Ela é brasileira e depois de uma semana ele se vê vivendo em um mundo completamente diferente do dele. Atordoado, ele descobre seus sentimentos, vive momentos lindos, mas também difíceis, e então nasce uma filha. É por isso que chamei de nunca um erro.”

E, para citar Massimo Troisi, no closing parecia amor mas period buggy, né?
“Exatamente. Só que o filme de Troisi period uma história regular, o meu absurdo. Depois de um tempo nos separamos e tudo se complicou.”

Você está quebrado?
“Não. Mas houve desentendimentos e foi difícil. Muito difícil. Durante três anos, quando eu period pequena, Julia morou no Brasil e eu não a through. Depois tudo correu bem e agora ela está bem: ela está em Milão e ela está o centro da minha vida Ele tem um caráter ensolarado e calmo.

É verdade que ele tem uma nova namorada?
“Sim. Ela é uma marechal do exército comum, uma amazona. Eu a conheci na rua, depois nos encontramos um mês depois em Bolonha e foi aí que tudo começou. Estamos juntos há um ano. Ela tem trinta anos.”

Ainda?
“Eu não iria querer alguém tão jovem, estava namorando alguém da minha idade, uma atriz que também é conhecida.”

E quem é?
«Não se diz, ela é casada. Eu só estava procurando uma história de sexo, e então o marechal chegou…”.

Quanto a fama pagou?
“Muito. Raffaella Carrà, com quem jogava cartas em casa, me disse que as pessoas se veem em momentos de sucesso, não de necessidade. E ela estava certa. Em um ponto as pessoas ao seu redor desaparecem e quando você volta a vê-lo e eles dizem: “Eu não te liguei porque não queria te incomodar. Mas que tipo de amigo você é se pensa em incomodar?”

E os parentes?
“Não importa. Escusado será dizer que temos que ajudar a todos. Você sempre tem que dar e estar disponível. Você se torna um caixa eletrônico. E depois há as redes sociais, onde qualquer um pode dizer qualquer besteira: Mammucari é ruim, ele é cínico, fala mal disso, fuma cocaína… Uma vez num bar um desconhecido agarrou-me pelo braço ameaçando-me porque eu tinha lido sabe-se lá o que o fiz fugir. Não sou Cristiano Malgioglio».

O que foi preciso para chegar aqui?
“Muito trabalho. O sucesso se conquista com o trabalho que amo, que também pude fazer quando fazia quatro noites por mês em um cabaré. Para mim, afinal, a regra do gol no rebote é sagrado”.

Que queres dizer?
“Você sempre tem que encontrar debaixo da porta. Certa vez, convidado para o casamento de um amigo querido, acordo com febre alta e digo: “Desculpe, mas venho à cerimônia e depois volto para a cama”. Na igreja não conseguíamos respirar por causa do calor, durante a cerimônia eu digo ao padre – senão eu teria desmaiado – e Maria De Filippi vira na minha frente, que eu não conhecia e não sabia que estava lá , e ela me diz: “Que idiota você é”, e ele ri. Aí eu vou para casa e depois de vinte minutos ele me liga e me oferece para fazer Tu Que Vales. Na minha opinião, ele nunca teria me levado se não tivesse me visto daquele jeito e visto que sou um cara regular que está sempre brincando”.

Você deu certo?
“Não sei. Sinto falta do meu próprio present. Algo como Libero, onde você pode ser um showman.”

E por que você não tem?
«Agora só se fazem formatos estabelecidos. Não há mais risco.”

É verdade que em 2002 Baudo lhe prometeu o “Dopofestival” em Sanremo e depois o jornalista Rai Francesco fez

Giorgino?

«Baudo, para mim uma lenda, convocou-me para me dizer que o faria. “Vamos apertar as mãos”, disse ele, “e não conte a ninguém.” Saí de férias para Maurício e quando voltei não tinha como falar com ele. Perdido. Aí o Giorgino e o Baudo anunciaram, aos que foram questionados sobre mim nas entrevistas, ele disse: “É o Mammucari que pediu em casamento.” Eu period muito ruim nisso. Me ajudou a entender que nesse mundo a gente fala muito.

E o que ela faz?
“Eu venho da rua. Algumas coisas eu não faço. Eu cresci em um internato. Éramos quatro filhos, os meus separados, e o dinheiro não dava.’

O que salva dessa experiência?
“Todos eles. Cheguei ao fundo do poço e passei por momentos terríveis, mas sei que todo esse sofrimento me ajudou a aceitar o bom e o ruim da vida. Nos primeiros 35 anos, tive a pior parte e depois a melhor . Mas não pedi detalhes porque são coisas do passado e não me apetece voltar a elas”.

A coisa mais embaraçosa que sua filha lhe disse?
“‘Papai, eu sei que você tem que aguentar tudo isso com a mamãe por minha causa… Se eu não estivesse aí, você não teria esses problemas’.”

E ela?
“O que você está dizendo Júlia? O oposto é verdadeiro. Você tem sido minha salvação. Graças a você sou pai e sem você nunca teria tido esse crescimento como homem.

A merda da vida?
“Meu? Muitos. Mas agora vem à mente o ex-diretor da Rai1 Fabrizio Del Noce. Em 2008, com Raffaella Carrà e Sergio Japino, trouxemos para ele um projeto meu idêntico ao Lol. Ele nos recebe, gosta e diz a Raffa: “Me traz esse Mammucari. E ela: “Diretor, é ele. Aí Del Noce sai da sala dele e some. Foi parar lá.”

A quem você deve gratidão?
«Aos que me agradeceram pelo que faço e aos meus inimigos. Por exemplo, lembro-me de meu pai, tio e irmão mais velho me dizendo: “Onde você pensa que está indo? Você é filho de pedreiro, sabia que a música pode ser feita por um em mil? Bem, essas coisas ruins me deram força.

Você mantém contato com eles?
“Não é importante. Com a fama, eu disse antes, você não é mais uma pessoa, tudo é devido.”

Onde vive Ele?
«Durante dois anos em Fregene, à beira-mar. Quero aproveitar a vida e estar com minha filha, amigos, namorada. Quero rir”.

© REPRODUÇÃO RESERVADA

Leave a Comment