A rota da água na lista dos melhores passeios para estas férias – Lugares por Onde Ando

Porto Caiuá, em Naviraí, um dos pontos de partida e chegada da Trilha dos Pioneiros no Mato Grosso do Sul – Foto: Reprodução

O Brasil tem pelo menos oito trilhas disponíveis para turistas brasileiros e estrangeiros aproveitarem as belezas naturais nestas férias de verão. Uma delas, a Trilha dos Pioneiros, tem um charme todo especial: é aquática, ou seja, bem diferente do formato tradicional com caminhos estreitos e irregulares em meio a uma mata virgem. São 388,8 km ao longo do rio Paraná, atravessando os estados de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.

Projetada para ser concluída em 16 dias, a maior hidrovia do Brasil começa no Parque Estadual do Morro do Diabo, no município de Teodoro Sampaio, extremo oeste paulista, e termina no Lago de Itaipu (PR), na divisa do Brasil com o Paraguai. Mas não tenha medo. Segundo a Associação Rede Brasileira de Trilhas, sua aventura pode começar e terminar em qualquer um dos 14 portos fluviais ao longo do rio Paraná.

Para quem vem do Mato Grosso do Sul, a lista de pontos de partida e chegada oferece cinco opções: a sede do Parque Estadual Várzeas do Rio Ivinhema em Ivinhema, Praia da Amizade e Porto Santo Antônio, ambos em Itaquiraí, Porto Caiuá, em Naviraí, e Porto Morumbi em Eldorado. “São pontos de apoio e um acampamento. Em alguns você pode encontrar água potável, comida e até abrigo. Pesquise na hora de planejar”, ​​alerta o web site Rede Trilhas.

No Mato Grosso do Sul, um dos trechos da trilha que mais chama a atenção dos aventureiros tem 43 km de extensão e liga a Praia da Amizade, em Itaquiraí, ao Porto Morumbi, em Eldorado. Esta é uma oferta para quem não se sente forte o suficiente para percorrer a totalidade do percurso de quase 400 quilómetros. Só não se esqueça de agendar um “resgate” no ultimate do episódio. Nem tente ser um herói, porque você não conseguirá nadar até o ponto de partida em uma trilha de água corrente.

O que levar para o caiaque: Colete salva-vidas, faca, apito salva-vidas, remo, remo reserva, água, lanches rápidos, barra de cereais, frutas, chocolate, isotônicos para hidratação, protetor photo voltaic, roupa de proteção photo voltaic e contra insetos, óculos de sol, luvas, boné , chapéu; gaze, ataduras, algodão, fita adesiva, antissépticos, analgésicos, antigripais, spray desinfetante, medicamentos de uso pessoal. Confira a cartilha completa de recomendações no web site oficial da ROTA DOS PIONEIROS.

A Trilha dos Pioneiros é a maior hidrovia do Brasil com 388,8 km de extensão ao longo do Rio Paraná - Foto: Letícia Nunes Araújo/OEco/Reprodução
A Trilha dos Pioneiros é a maior hidrovia do Brasil com 388,8 km de extensão ao longo do Rio Paraná – Foto: Letícia Nunes Araújo/OEco/Reprodução

Segundo o Ministério do Turismo, o Brasil possui atualmente mais de 2.000 km de rotas de longa distância adequadas para turistas nacionais e estrangeiros. São percursos que já possuem sinalização, pontos turísticos, alojamento, restauração e outros pontos de apoio. Além da Rota dos Pioneiros, veja abaixo as outras sete rotas consideradas prontas:

CAMINHOS DA SERRA AO MAR – Localizado no Rio de Janeiro, passa pelos municípios fluminenses de Magé, Petrópolis, Teresópolis, Guapimirim e Friburgo e cruza algumas das unidades de conservação do mosaico da Mata Atlântica Central Fluminense, como o Parque Nacional da Serra dos Órgãos e o Área de Proteção Ambiental de Petrópolis. Ao longo do trajeto, a principal atração são os diversos ecossistemas associados ao bioma Mata Atlântica. A trilha é ideally suited para montanhismo, caminhadas, contemplação, recreação e relaxamento.

TRILHA DO CANYON – Localizado no Rio Grande do Sul, o percurso de 127 quilômetros pode ser feito a pé ou de bicicleta em no máximo cinco dias. Passa por diversos municípios do litoral norte do Rio Grande do Sul, incluindo as cidades de Torres, Mampituba, Morrinhos do Sul, Três Cachoeiras, Três Forquilhas e Itati. O principal objetivo da trilha é promover a proteção do meio ambiente na zona de amortecimento do Parque Nacional de Aparados da Serra, a integração de diferentes comunidades e o desenvolvimento do turismo nessas localidades.

A TRILHA DA SUCUPIRA – No coração do Brasil, a Trilha da Sucupira é uma ótima opção para os turistas de Brasília (DF). Com aproximadamente 36 km de extensão, o percurso é um dos mais longos que percorrem a capital federal. Na trilha, os visitantes podem ter contato direto com as atrações e espécies nativas do Cerrado. A Floresta Nacional de Brasília, localizada a menos de 30 minutos do centro da capital, é uma unidade de conservação da natureza com o maior número de trilhas de mountain bike demarcadas do país.

A ROTA DA TRANSMANTIQUEIRA – Hóspedes dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais também podem aproveitar as belezas naturais desta trilha. A rota da Transmantiqueira, com aproximadamente 1.200 km de extensão, começa na cidade de São Paulo (SP), chegando a vários municípios da região. De um lado, o caminho passa pelo Parque Estadual da Cantareira e atravessa dezenas de unidades de segurança até chegar à cidade mineira de Aiuruoca. Pelo lado oeste, a trilha entra no Parque Estadual do Ibitipoca, em Minas Gerais, e termina na famosa Janela do Céu, um dos pontos mais altos do native. Ao norte, o roteiro segue até o município de Itumirim (MG), passando pela Chapada das Perdizes e Carrancas.

TRANSCARIOCA – A trilha atravessa a cidade do Rio de Janeiro por cerca de 180 km, partindo da Barra de Guaratiba até o Morro da Urca, aos pés do Pão de Açúcar. Entre as atrações para os turistas estão os mirantes das inúmeras atrações da cidade, como o Corcovado e Copacabana. O percurso pode ser percorrido no todo ou em partes, dependendo dos interesses, habilidades e tempo dos visitantes. Atualmente, nove unidades protegidas são interligadas por vias como o Parque Pure Municipal de Grumari, o Parque Nacional da Tijuca e o Parque Estadual da Pedra Branca.

O CAMINHO DE CORALINE – O percurso de 333 km passa por diversas cidades históricas do estado de Goiás, como Corumbá de Goiás, Pirenópolis, São Francisco de Goiás, Jaraguá e Cidade de Goiás, incluindo também os municípios de Cocalzinho de Goiás, Itaguari e Itaberai. Criada em 2013, a trilha de longa distância cativa os turistas com a riqueza da natureza, vilarejos do entorno e diversos atrativos para os amantes do ecoturismo. O caminho foi criado para conectar municípios, fazendas e atrativos da região. Tudo isto é percorrido por antigos caminhos, no âmbito de uma expedição turística que pode ser apreciada por viajantes a pé ou de bicicleta.

CUIDADO AO PARTICIPAR – Embora o verão brasileiro seja conhecido pelo sol e calor, também tem chuva e precipitação. Para evitar acidentes durante a viagem, siga regras simples de segurança e fique atento à previsão do tempo. Como a estação também é chuvosa, as pedras e os caminhos ficam mais escorregadios. Além disso, a precipitação nas nascentes e nascentes dos rios pode provocar um aumento súbito da vazão, as chamadas enchentes. trombas d’água.

RECOMENDAÇÕES – Evite fazer caminhadas sozinho ou em grupo, renuncie a um guia. Essas opções aumentam o risco de se perder no caminho ou seguir um caminho perigoso. O ideally suited é sempre visitar em grupo. Mínimo duas pessoas. Além disso, é imprescindível trazer consigo um telemóvel 100% carregado. Em caso de acidente, é possível retornar a um native protegido por antenas e pedir socorro.

Leave a Comment