Caso Cannes, Scarpinato quebra o silêncio: “Não me demito, não tenho culpa”

“Se alguém pensou que eu poderia renunciar, se enganou muito: não vou. Não tenho culpa em relação a um processo de financiamento instituído na última legislatura, quando nem sequer se podia imaginar que pudesse ser comissário do novo governo». É o que afirma à ANSA o Conselheiro do Turismo da Região da Sicília, Francesco Scarpinato, quebrando o silêncio em que foi fechado devido ao escândalo de Cannes, 3,7 milhões de euros atribuídos à empresa luxemburguesa Absolute Blue Sa para o evento “Sicília Mulher e Cinema” e revogada em legítima defesa a pedido do governador Renato Schifani.

Para saber mais:

A EXPOSIÇÃO DA DISCÓRDIA

Scarpinato conta “ter vivido dias terríveis”. “Não sofri por mim, sou militar e sei lidar com as situações mais difíceis – diz – mas pela minha família e em explicit pelos meus filhos. Ler as mensagens que minha filha preocupada me enviou faz meu coração doer.” E explica porque esperou tanto antes de falar publicamente. “Recolhi documentos e investiguei a fundo o assunto desde que a disposição da gestão me foi apresentada apenas sete dias após a minha posse como vereador – diz -. Por se tratar de uma disposição do governo anterior, limitei-me a visualizá-la, porém pedindo atualizações ». O caso explodiu em 5 de janeiro. “Desde aquele dia tento reconstruir tudo – prossegue -. E quando tomei conhecimento dos trâmites, informei o partido, que como eu esperou estar a par de tudo antes de tomar posição, como fez hoje com a nota assinada pelos dirigentes sicilianos da FdI e pelos 13 deputados das regionais conjunto “.

Para saber mais:

Região da Sicília

«Nunca assinei qualquer autorização nem muito menos um aumento de orçamento para o financiamento do evento de Cannes, apenas vi um projeto ainda em fase de adjudicação que me foi apresentado pelo diretor da Comissão de Cinema para aquela iniciativa prevista bem antes de me tornar vereador e recomendando que os gabinetes me dêem mais notícias», continua o comissário. Scarpinato explica a missão realizada em Cannes em dezembro. «Não tem nada a ver com o evento disputado. Fui a Cannes a convite da Enit para a feira de turismo de luxo para inauguração e inauguração do estande da Itália. Lá conheci alguns dos maiores operadores, incluindo Rocco Forte. O turismo de luxo na Sicília vale 2%, mas desenvolve 25% do PIB, então estar lá significava implementar fluxos turísticos».

Para saber mais:

REGIÃO

Poucas horas depois do relatório enviado pelo gerente geral de Turismo ao governador Renato Schifani, que o havia solicitado duas vezes ao montar a polêmica em torno dos 3,7 milhões de euros concedidos à empresa luxemburguesa Absolute Blue Sa para um evento em Cannes, o comissário Regional Francesco Paolo Scarpinato com nota sugeriu ao Presidente da Região “a ativação de uma intervenção extraordinária de fiscalização sobre as atividades processuais que caracterizaram a emissão do decreto de 20 de dezembro de 2022”. Na nota, o comissário Scarpinato escreve que do relatório do director do Departamento de Turismo tomou conhecimento «nomeadamente da falta de registo do decreto” de financiamento de 3,7 milhões para o evento ‘Sicily Lady amd Cinemà’, «uma condição que impede a eficácia da disposição”. “Além disso – prossegue a carta dirigida ao Presidente da Região – poderão surgir eventuais questões críticas, deduzidas do conhecimento da disposição, relativamente à insuficiência de fundamentação contida nos motivos que levaram à ruptura reconfirmar a empresa luxemburguesa ‘Absolute Bluè na realização do projeto fotográfico Sicily lady and cinema 2023 a preços acrescidos face ao evento análogo realizado em 2022 e renunciar à prestação da caução como contrapartida do depósito definitivo».

E a FdI une-se em torno de Scarpinato: «Não há dúvidas quanto ao acerto da actuação político-administrativa do precise vereador regional do Turismo. Fratelli d’Italia está acompanhando de perto a história que, de qualquer forma, não afeta a confiança no membro da junta de Schifani. Scarpinato continuará a ação do governo com o objetivo de realizar o programa de promoção e valorização do turismo para a Sicília”, escrevem em nota a coordenação regional, o grupo Ars e os conselheiros regionais dos Irmãos da Itália.

Já o presidente da Região Renato Schifani: «Hoje foi um dia lindo. Juntamente com o conselho de governo, recebi no Palazzo d’Orléans o ministro Roberto Calderoli, com quem discutimos e abordamos importantes questões relacionadas à Sicília. Um dia importante e proveitoso para o crescimento e imagem da minha terra. Hoje prefiro concentrar-me nisso», disse em resposta às declarações do vereador regional do Turismo, Francesco Scarpinato, sobre a polémica em torno do evento de Cannes «Sicília Mulher e Cinema». E às declarações do vereador sobre a circunstância de ter pedido a vistoria, o governador responde: «Estamos a brincar à parte? O meu pedido de verificação da matéria por parte do advogado, uma vez que tomei conhecimento dos factos, foi totalmente autónomo e oportuno e responde a uma óptima necessidade de apuração da legitimidade dos documentos produzidos”.

DIREITOS AUTORAIS LASICILIA.IT © REPRODUÇÃO RESERVADA

Leave a Comment