dentista é acusado de praticar medicina ilegalmente após paciente perder parte do nariz • SiteBarra

O dentista Igor Leonardo Soares Nascimento foi indiciado pela Polícia Civil por prática ilegal de medicina e lesão corporal após uma paciente relatar que perdeu parte do nariz após passar por procedimento estético com ele em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital. A reportagem é de Vitor Santana, do g1.

A cirurgia realizada, chamada de alectomies, que consiste em esculpir o nariz, não pode ser realizada por dentistas. A vítima teve que passar por várias cirurgias para reconstrução e deixou cicatrizes.

A denúncia ocorreu na sexta-feira (20. O dentista Igor Leonardo disse que o problema não foi causado por uma cirurgia, mas por uma síndrome relacionada a medicamentos que causou necrose. Além disso, afirmou que cuidou do paciente (leia nota completa no ultimate do texto).

A esteticista Elielma Carvalho Braga realizou o procedimento em junho de 2020 após ver anúncios on-line de um dentista dizendo que estava realizando uma alectomia. A princípio, ela acreditou que o procedimento havia funcionado. Porém, nos dias seguintes, ela começou a sentir fortes dores e mudanças no rosto.

“Meu rosto começou a queimar. No dia seguinte estava cheio de bolhas, como se fosse uma queimadura”, disse ele.

Em julho de 2022, Elielma decidiu denunciar publicamente o caso. Ela teve necrose no lado direito do nariz. Após perder parte da pele, precisou passar por diversas cirurgias, deixando cicatrizes que abalaram sua autoestima.

“Tenho vergonha porque estamos fazendo algo para melhorar um pouco, e essa pessoa está fazendo isso. Ele destruiu minha auto-estima. Eu choro, o que eu vivo hoje não é fácil”, disse.

O Conselho Regional de Odontologia disse que não poderia fornecer informações sobre processos envolvendo dentistas. O g1 entrou em contato com o Conselho Regional de Medicina por e-mail às 6h45, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

O dentista Igor Leonardo Soares Nascimento, acusado de lesão corporal e prática médica ilegal — Foto: Reprodução/Instagram

A Polícia Civil informou que a investigação incluiu documentos dos conselhos regional e federal de Odontologia e de Medicina, além de exames das lesões da vítima. A investigação mostrou que o dentista, apesar da falta de treinamento adequado, realizou o procedimento e causou danos gravíssimos à saúde do paciente.

Além disso, ele foi acusado de prática ilegal por realizar um procedimento cirúrgico apenas para médicos.

Por fim, a polícia disse que o dentista realizou os procedimentos da forma typical e que um TCO foi registrado contra ele em 2021 pelo mesmo delito.

Elielma Carvalho Braga antes e depois da cirurgia de nariz — Foto: Elielma Carvalho/Arquivo Pessoal
Elielma Carvalho Braga antes e depois da cirurgia de nariz — Foto: Elielma Carvalho/Arquivo Pessoal

Alectomias são realizadas para reduzir as asas do nariz. A técnica é teoricamente simples: sob anestesia native, um profissional recorta um pedaço dessas estruturas que envolvem as narinas e fecha com pontos.

O Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) afirmou na época da denúncia que o procedimento é um ato médico e, portanto, “só deve ser realizado por médicos”. A entidade informou que o combate à prática médica ilegal foi conduzido com rigor.

O Conselho Provincial de Odontologia também informou em 2022 que “os cirurgiões-dentistas estão autorizados a realizar procedimentos estéticos e faciais, desde que não sejam procedimentos puramente estéticos” e que as alectomies nunca estiveram entre os procedimentos permitidos aos cirurgiões. .

Já a resolução de agosto de 2020 proibiu claramente a realização de alectomias por dentistas.

Nota do dentista Igor Leonardo

“Sou cirurgião-dentista há 19 anos. Especialista em implantologia, ortodontia e ortopedia funcional dos maxilares, estética oral e harmonização facial avançada.

O problema no caso de Elielma foi uma reação pós-operatória chamada síndrome de Nicolau, uma rara deterioração dos vasos sanguíneos após o uso de drogas injetáveis. Algo muito raro aconteceu e foi devido ao preenchimento do nariz, não à operação de que estão falando.

A situação foi agravada pelo fato de ela ter procurado minha ajuda por muito tempo após o procedimento. Quando ela voltou para mim, 3 dias depois, a situação já estava ruim. E infelizmente, minhas mãos estavam atadas e por isso ela sofreu consequências tão graves.

Quanto à indenização, o que o juiz decidir, eu farei. Fiquei muito emocionada com o caso da Elielma e nunca quis fazer nada de mal, sempre fiz e sempre farei o melhor para os meus pacientes.

Não period a cirurgia que estava causando os problemas de Elielma.

A síndrome de Nicolau, também conhecida como Embolia Cutis Medicamentosa e Dermatite Livedoide, é uma complicação rara caracterizada por necrose tecidual que ocorre após injeção de medicamentos, como foi o caso dela.

Mesmo a referida paciente teve todo o meu apoio e apoio no tratamento a que se submeteu após este episódio. Eu period muito sensível ao seu problema.

Paguei remédios e tratamentos subsequentes com outros colegas. Nunca a decepcionei financeiramente e acompanhei seu tratamento de perto após o incidente.

Infelizmente, nós profissionais dessa área estamos sujeitos a coincidências que não são da nossa vontade.

Continuo a sua disposição caso seja necessário. E seja qual for a decisão do tribunal, farei o meu melhor para cooperar com ele.”

Leave a Comment