Gallarate, finalmente Warhol. A grande exposição da Maga abre


GALARAR – Dois anos de trabalho para montar a maior exposição realizada na Maga di Gallarate desde sua inauguração. Por mais de quatro meses, de 22 de janeiro a 18 de junho de 2023, os anfitriões Maga uma antologia dedicada a Andy Warhol um dos picos absolutos da arte e da cultura do século XX.

Seis meses de fama

Parafraseando o gênio que mudou a história da arte no século XX, Gallarate viverá bem mais de um quarto de hora de fama. A exposição, com curadoria de Maurice Vanni e Emma Zanella narra a multifacetada e rica produção do pai da Pop Artwork americana que, ao longo de sua longa carreira, foi pintor, ilustrador, roteirista, produtor de cinema e televisão, diretor, diretor de fotografia e ele próprio ator, figura que mudou radicalmente a maneira ver e perceber a sociedade contemporânea. A mostra foi apresentada hoje, 19 de janeiro, na presença do prefeito Andrea Cassani e o vereador da Cultura Cláudia Mazzetti.

A exibição

A resenha, intitulada Andy Warhol. Identidade serialpara sublinhar o quanto sua pesquisa é caracterizada pela versatilidade absoluta e pelo desejo de transformação, ele refaz através de mais de 200 obras (vindo também de instituições internacionais como The Andy Warhol Museum em Pittsburgh e o arquivo Ronald Nameth) todo o universo criativo de Warhol, desde os primeiros desenhos feitos para edição e moda, até as obras mais importantes pop onde os principais protagonistas são celebridades, como músicos, diretores, designers, políticos, atores, ai marca comerciais de grandes empresas, que se tornaram ícones de uma nova forma de viver e consumir, elementos banais do cotidiano elevados a ícones contemporâneos.

O percurso expositivo abre-se com uma comparação entre alguns desenhos privados e os primeiros croquis publicitários de grande requinte dos anos cinquenta do século XX; precisamente os códigos publicitários, que se tornaram o motor da vida social e da reconhecibilidade, nos anos em que a produção industrial americana estava a todo vapor, levaram o artista a uma completa inversão de resultados estéticos, linguísticos e pessoais.

Desde o início dos anos sessenta, Warhol começa a experimentar as linguagens, as técnicas, os códigos amplos da comunicação de massa, arrastando-os para o seu universo e reinventando-os com uma figura estilística extremamente reconhecível, em todos os campos de expressão e pesquisa criativa, na produção seriada de trabalha na serigrafia, na criação de filmes experimentais, na edição, na fotografia, no uso inescrupuloso dos meios de comunicação de massa.

Exposição de Andy Warhol em Gallarate

Os famosos ciclos de Andy Warhol, como i floresa Sopa CampbellEU Morte e desastres, retratos de celebridades como Marilyn Monroe, Jacqueline Kennedy, Mao Tsê-tung e a famosa série senhoras e senhoresbem como um corpus de obras e materiais relacionados a produções não menos importantes de Warhol, como aquelas relacionadas à edição e aos gráficos de capas de discos. De facto, o artista cria, para além dos livros de artista mais conhecidos, livros biográficos escritos na primeira pessoa e concebe integralmente os catálogos de algumas das suas exposições pessoais; a paixão pelo papel impresso também o levou a fundar a famosa e longeva revista Entrevista.

A exposição vai entrelaçar diferentes níveis narrativos e levar o espectador a apreender os aspetos menos óbvios da sua obra: a procura de identidades em constante mutação que o artista quis dar de si; a ânsia de experimentar linguagens artísticas que fluem continuamente umas para as outras; a profunda ligação do seu trabalho com o mundo da música, edição, cinematografia, temas que terão grande repercussão na exposição também graças à colaboração com o Museu Andy Warhol de Pittsburgh para a Filme mudo elas Testes de telae os extraordinários trechos da programação doTelevisão de Andy Warhol.

Warhol em Malpensa

O projeto expositivo torna-se especial e único pela grande seção dedicada à experimentação e investigação de Warhol sobre o processo de filmar e ser filmado; são exibidos na íntegra Império (1964)(8 horas e 5 minutos), a famosa tomada do Empire State Constructing do crepúsculo ao amanhecer; Beijo (1963-1964)(58 minutos), sequência de beijos trocados por casais heterossexuais e homossexuais; quatro Testes de telaSalvador Dalí, Bob Dylan, Lou Reed (Coca) e Edie Sedwick – tomadas de câmera fixas feitas apontando a câmera para quem foi visitar a Fábrica.

Os cinco episódios de Quinze minutos de Andy Warhol, produtos para o icônico Televisão de Andy Warhol que foi ao ar de 1985 a 1987, e os três videoclipes de 1981 para o sabado a noite ao vivoO programa de TV mais famoso da América, considerado o auge da obra televisiva de Warhol.

Esta seção será ampliada no Terminal 1 do Aeroporto Malpensa de Milão – La Porta di Milano com A TV de Andy Warhol – Projeto Especialuma co-produção de vídeo feita por MA*GA, MEET Digital Tradition Middle e SEA, dedicado às produções televisivas do icônico pai da Pop Artwork americana. Os programas concebidos por Warhol são concebidos como uma montagem dinâmica de entrevistas com celebridades do universo pop, desfiles de moda e sucessos musicais. A compilação oferece um corte transversal da cena artística internacional dos anos 80, cruzando rostos, lugares e obras que Warhol selecionou, aprimorando os momentos marcantes.
Pela primeira vez na Itália também está em exibição a extraordinária videoinstalação do fotógrafo e diretor americano Ronald Nameth nascido da efficiency Explosão de plástico inevitável orquestrado por Warhol com o Velvet Underground e Nico. De abril de 1966 a maio do ano seguinte a inevitável explosão de plástico foi encenado, com sucesso flutuante de público e crítica, em várias cidades americanas: de Nova York a Los Angeles, de São Francisco a Chicago, a Provincetown.

Exposição Gallarate Andy Warhol – MALPENSA24

Leave a Comment