Grandes exhibits marcarão a 24ª edição do Competition Jazz & Blues em Guaramiranga, no Ceará

O tradicional Competition de Jazz & Blues está de volta! Depois de dois anos acontecendo em formatos alternativos, por conta da pandemia de Covid-19, a 24ª edição vem com um gostinho especial de reunir os músicos com o grande público do competition, preso em sua estrutura montanhosa. O horário e o native não poderiam ser diferentes: acontecerá durante o Carnaval, de 18 a 21 de fevereiro, em Guaramiranga, no Ceará. Espetáculos, conversas, workshops e homenagens vão compor um programa que será festivo mesmo, com convidados não só do jazz e do blues, mas também de outros géneros que extraem das suas fontes uma riqueza interpretativa.

O cantor e compositor cearense Ednardo será homenageado no competition. No palco do Cidade Jazz & Blues, estrutura erguida pela festa a cada edição, ele apresenta diversas faixas do repertório de “50 anos de Sarau Vox 72”, disco lançado com fita gravada na festa de despedida do pai antes sua viagem ao Rio de Janeiro há cinco décadas. No present, Ednardo será acompanhado por Carlinhos Patriolino (guitarra), Cláudio Mendes (teclados e samplers), que assina os novos arranjos das faixas, Luiz Miguel (baixo) e Igor Ribeiro (bateria). Nos vocais de Carol Damasceno, Kellen Kristty, Régis e Rogério Soares.

A Marimbanda, grande referência da música instrumental cearense, homenageia Luizinho Duarte, um dos músicos mais respeitados de Fortaleza, com mais de 500 faixas catalogadas. O mestre compositor, baterista e fundador do grupo Luizinho faleceu em abril de 2022, dois meses após sua última apresentação com a banda, que aconteceu no Teatro Rachel de Queiroz, em Guaramiranga, durante o Competition Jazz & Blues – Edição Especial. Atualmente a Marimbanda é formada por Heriberto Porto (flautas), Thiago Almeida (arranjos e piano), Pedro Façanha (baixo acústico) e o mais novo integrante, Michael da Silva (bateria). Neste programa, o grupo apresenta um repertório que visita a discografia e homenageia as obras do mestre com novas releituras e arranjos de Thiago Almeida, que olha para o futuro do quarteto.

Com a sua voz potente, gestos elegantes e um som que transmite as tradições musicais do Mali, seu país de origem, associadas a elementos do blues, jazz e sonoridades eletrónicas, a cantora Djely Tapa, radicada no Canadá, apresenta o repertório de “Barocan”, uma homenagem à mulher e ao africanismo, no competition. Com este álbum a solo, foi distinguida com o Canadian Juno Award, World Music Album of the Yr e Juno Awards 2020. Djely Tapa partilha as sábias palavras e a arte vocal dos griots, figuras emblemáticas da sociedade maliana antiga e moderna. Provém de uma excelente linhagem de griots; é filha da mítica Djela Bouya Diarra e de Kandia Kouyaté, uma das cantoras mais destacadas do Mali.

Por falar em votos, graças à participação na última edição do The Voice Brasil, milhares de fãs conquistaram o país inteiro. O artista cearense Makem começou a revelar sua voz em 2015 em um karaokê na Barra do Ceará, bairro de Fortaleza. Em 2019, lançou “Simplesmente Teu”, seu primeiro trabalho authentic, assinado com composição, texto e melodia, arranjo de Ananias Góis e produção de Amedício Jr. Com elementos do R&B dos anos 90, a música conta uma história de desgosto, mas também iniciativas de amor próprio. Em 2019, Makem se juntou ao seu primeiro projeto independente chamado “SoulSin”. Hoje, Makem sai em turnê com seu novo present “Vozes”, no qual a artista explora delicadamente as grandes vozes nacionais e internacionais de hoje e de ontem. Com a sua voz aveludada e cheia de referências, Makem quer transmitir com esta nova efficiency o que nos vai no coração em interpretações únicas.

As vocalistas Marília Lima, Jael Lia e Shirley Cordeiro, a vocalista e tecladista Gabriela Willis, a guitarrista Débora Marc, a baixista Mirele Alencar e a baterista Ayla Lemos são Mulheres do Blues. Juntos, pela primeira vez em palco, mergulham na história do género musical, apresentando “Blues ontem, hoje, sempre!”, espetáculo preparado especialmente para esta edição do competition. Sete mulheres que representam a exuberante cena cearense, uma combinação de talentos, trajetórias e musicalidade. Será uma viagem pelas origens do blues, pelas raízes de Delta e Chicago, pela influência do blues na música brasileira, até as produções originais de artistas como os reunidos especialmente para esta exposição.

Volta ao Competition de Guaramiranga Hamilton de Holanda, bandolinista que, além de inúmeros prêmios, conquista público em turnês pelo mundo. Ele, o pianista Salomão Soares e o baterista Large Rabello formam o Trio Hamilton de Holanda, que apresenta o espetáculo “Onde o Choro encontra o Jazz”. No repertório, pérolas do cancioneiro como “Um Tom para Jobim” (Sivuca e Oswaldinho), “Chega de Saudade” (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), “Chorinho para Ele” (Hermeto Pascoal) e clássicos da música authentic do bandolinista repertório como “Tamanduá”, “Nasceu o Amor” e “Saudades do Rio” e algumas inéditas como “Endeless”, parceria com o baixista do Snarky Pet, Michael League, e “Flying Hen”, nome provisório para seu novo projeto.

O violonista e compositor cearense Cainã Cavalcante também apresenta no competition música instrumental com toque de jazz. O artista tem mais de 20 anos de carreira, iniciada aos 10 anos, quando venceu seu primeiro concurso de violão clássico em São Paulo, onde mora atualmente. Tem vários concertos no Brasil, América Latina e países europeus como Alemanha, Áustria, Holanda, França, Letónia e Suécia, e sete discos editados, dois dos quais em 2021, “Paracosmo” em colaboração com Ricardo Bacelar e “Sinal dos Tempos – Cainã toca Garoto”, em colaboração com Paulo Braga e Guto Wirtti, revive a obra do paulista Garoto, um dos mais famosos compositores de sua época. Sete décadas depois de sua morte aos 39 anos, Garoto é estudado, respeitado e seus tesouros musicais estão registrados por nomes como Baden Powell, Bola Sete, Guinga, João Gilberto e Yamandu Costa. É essa peça que Cainã apresentará no 24º Competition de Jazz & Blues.

O trombonista e compositor capixaba Joabe Reis chega ao competition com uma rica bagagem sonora, o que o torna um dos nomes mais respeitados da música instrumental brasileira contemporânea. Joabe Reis produziu e lançou em 2020 seu primeiro álbum autointitulado “Crew in Church”, cujo nome se refere à sua associação com referências à música gospel somada ao hip-hop e vivências na metrópole de São Paulo, onde mora, e música urbana. São nove faixas onde o jazz é reverenciado, com fortes influências do hip hop, neo soul, funk e pop. Suas composições enfatizam elementos da música afro-brasileira e R&B e combinam nomes importantes da música instrumental como Toninho Horta, Nelson Ayres e o trombonista londrino Elliot Mason. Joabe Reis já trabalhou como trombonista, arranjador e/ou produtor para nomes como Bob Mintzer (EUA), Anitta, Robin Eubanks, Hermeto Pascoal, Ivan Lins, Toninho Horta e Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo.

Vanessa Moreno e Salomão Soares, a mais expressiva dupla de jazz brasileiro da atualidade, também marcarão presença no palco do competition nesta edição. Vencedora do Prêmio Profissionais da Música Brasileira em 2017 e 2018 na categoria “Cantora”, e em 2021 como “Cantora” e “Autora”, Vanessa se destaca como uma das maiores revelações musicais do Brasil. O pianista, arranjador e compositor Salomão Soares já gravou ou dividiu palco com grandes artistas da música brasileira como Hermeto Pascoal, Hamilton de Holanda, Toninho Horta, Leny Andrade e Toninho Ferragutti (com quem gravou um disco de duetos), entre outros. Uma das revelações do piano brasileiro, Salomão é vencedor do Prêmio MIMO Instrumental 2017, finalista do Concurso de Piano do Competition de Montreux 2017 – Suíça, vencedor do Prêmio Novos Talentos do Competition Savassi 2018. Em dupla , Vanessa e Salomão lançaram duas músicas: “Chão de Flutuar” (2019) e “Yatra-Tá” (2021). O repertório inclui compositores como Joyce Moreno, Luiz Gonzaga, Djavan, Hermeto Pascoal e Tania Maria, uma das principais inspirações da dupla, que inspirou o título do segundo álbum.

O multiartista Silvero Pereira, que já visitou Guaramiranga diversas vezes para o tradicional Competition de Teatro Nordestino (FNT), volta à cidade serrana, desta vez aos palcos do Competition Jazz & Blues com o espetáculo “Silvero interpreta Belchior”, uma homenagem ao seu compatriota que arrebata plateias por todo o lado. É um espetáculo que corta como uma faca, corta fundo na alma. As canções interpretadas por Silvero ganham conotações com outro menino latino de Mombaça, que derramava a fome e a sede através da arte. O repertório inclui algumas das canções preferidas de Silvero, como “A hora do almoço”, “Pequeno Mapa do Tempo”, “Paralelas”, além de diversas outras canções especiais para o intérprete. A banda que acompanha Silvero é formada pelos músicos Caio Castelo (guitarra e violão), Dândara Marquês (baixo), Joana Lima (teclados), Rochanna Farias (saxofone) e Vladya Mendes (bateria).

A cantora cearense Lorena Nunes retorna ao Competition Jazz & Blues. Nesta edição, ela apresenta o programa “Embartação”, cuja estrutura estética, sonora e sensual permite que sua música navegue, lançado no “porto” cearense, com destino aos mais diversos portos do Brasil e do mundo. La Mar, o terceiro e último disco da artista, é o centro desta composição, uma obra que a artista descreve como um álbum cigano, contendo o minimalismo da bagagem leve, sempre no lugar da simplicidade, do afastamento dos excessos. A efficiency é uma experiência provocativa para os sentidos, mediada por música que remonta às antigas reuniões de fogueiras redondas historicamente usadas para compartilhar canções e histórias.

Também cearense é o baterista Robertinho Marçal, que começou a carreira musical ainda criança, que já dura 28 anos. Integrou a banda de Raimundo Fagner por sete anos e atualmente está em turnê com o Padre Fábio de Melo. Robertinho estudou com os maiores bateristas do mundo como Steve Smith, Dave Weckl, Jogo Mayer e Benny Greb em Chicago e com Dave Dicenzo e Henrique de Almeida na Berklee Faculty of Music em Boston, EUA. No Competition Jazz & Blues, Robertinho Marçal apresenta canções de seu primeiro álbum solo de seu nome, lançado em 2019 com obras de compositores cearenses. A efficiency é uma imersão na identidade do músico, com sua versatilidade e virtuosismo, com a missão de tocar e emocionar os ouvintes. Robertinho Marçal convidou excelentes músicos e amigos para tocarem juntos: Miqueias dos Santos (contrabaixo), Thiago Almeida (teclados), Rafael Maia (teclados) e Stenio Gonçalves (guitarras). O present é uma celebração do amor, da música, da amizade e, claro, da bateria, sua grande paixão.

Para fechar o competition com um present divertido para todas as idades, o grupo de Don Zefinh apresenta “O Circo Sem Teto dos Palhaços Furados”, uma comédia musical infantil que conta a história de um circo mambembe do Nordeste tentando sobreviver na mídia do mundo moderno. Os palhaços “Bufão”, “Panfeto” e “Pafim” conduzem a charanga, tocando instrumentos exóticos ao vivo, fazendo piadas, brincando com o público em tom nu e teatral. Com uma linguagem e dramaturgia musical própria, combinando música, teatro e elementos de circo e espetáculos de rua, o grupo de Don Zefinha percorre um longo e enriquecedor caminho onde estabelece um diálogo world, com qualidade artística, bom humor e swing.

A organização do 24º Competition de Jazz & Blues é a By way of de Comunicação. Créditos: Enel e Photo voltaic Coca-Cola, por meio da Lei Nacional de Incentivo à Cultura. Apoio institucional: Prefeitura Municipal de Guaramiranga e Governo do Estado do Ceará por meio da Secretaria de Cultura (Secult-CE).

SERVIÇO
24º Competition de Jazz & Blues: 18 a 21 de fevereiro de 2023 em Guaramiranga, Ceará. Website: www.jazzeblues.com.br. Redes sociais: Fb [Festival Jazz & Blues (CE)] Instagram [@festivaljazzeblues]. Informações: producaojazzeblues@gmail.com.

Leave a Comment