Lisboa mais cara que Porto e Veneza, mais barata que Barcelona. As cidades mais caras da Europa – mundo

Numa altura em que os portugueses têm mais dificuldade em pagar as taxas bancárias do crédito à habitação ou encontrar valores de renda sustentáveis ​​devido à consequente subida das taxas de juro, apresentamos uma lista das cidades com o custo de vida mais elevado da Europa.

Segundo o Expatistan, o índice é calculado com base em fatores como custo médio de aluguel ou preço de compra de apartamentos, alimentação, serviços básicos e transporte público.

Nesse rating, não foi avaliada a relação entre o custo de vida e o salário médio dos moradores, já que os trabalhadores das cidades suíças ganham salários bem mais altos do que os praticados em Portugal, por exemplo.

A galeria de fotos abaixo serve para mostrar as diferenças percentuais entre a capital portuguesa e as 20 mais caras do velho continente, além de outras mais baratas.

Na Suíça, o salário mínimo varia entre 3.700 euros em Genebra e 3.785 euros em Zurique, dependendo do cantão. Na Holanda, aumentará de € 1.756 para € 1.931 em 2023 para responder à inflação que atinge a Europa. Na Inglaterra, o salário mínimo é de € 1.900 (também revisado e aumentado em 2023). A Espanha (€ 1.050) é menor em comparação com países como a França (€ 1.540) ou a Alemanha (€ 1.584).

O salário mínimo em Portugal é de 760 euros, na República Checa é de 575 euros.

Em Itália não existe um valor fixo para o salário mínimo, mas sim um valor médio, que é de 800€ para os trabalhadores menos qualificados e de 1200€ para os empregos de maior qualificação.

Cidades como Barcelona (42ª), Milão (31ª) e Viena (25ª) surgem entre Lisboa (50ª) e Roterdão (20ª).

Leave a Comment