“Mais Lusofonia” terá o apoio de autoridades e entidades portuguesas e internacionais

Igor Lopes

“Parabéns pela iniciativa. O trabalho da Associação deve continuar. Tem o apoio da Câmara Municipal da Praia que está interessada em ajudá-lo a melhorar as suas operações.” Com estas palavras, Maria Clara Marques Rodrigues, Presidente da Assembleia Municipal da Praia e do Conselho Geral da Associação Nacional de Municípios de Cabo Verde, esteve presente na gala de apresentação oficial da Associação “Mais Lusofonia”, em Castelo Branco, no passado dia 6 de janeiro.

Esta nova instituição vai apoiar os cidadãos dos países de língua portuguesa e todos os migrantes que escolham Portugal como native de residência. Inicialmente, iremos focar-nos nos alunos cabo-verdianos que frequentam o Instituto Politécnico de Castelo Branco, mas outras iniciativas serão grandes para servir outros públicos.

Maria Clara Marques Rodrigues, que é também ativista social, cultural e ambiental, presidente da Caritas Fiscal de Cabo Verde e vogal de várias associações, comentou que tem uma “visão positiva” sobre os resultados desta nova associação com o seu município .

“Em Cabo Verde, as autarquias do concelho da Praia têm desempenhado um papel importante na resposta às necessidades dos jovens em termos de formação, emprego e lazer. O Executivo da Câmara Municipal em conjunto com a Assembleia Municipal do Município da Praia tem feito um merecido trabalho de promoção da parceria no país e não só, e junto das Câmaras Municipais e instituições formadoras no âmbito da geminação e outras para mobilizar recursos para encontrar os meios para realizar seus desejos. Nesta perspetiva, temos trabalhado com associações, empresas e sociedade civil na concretização de projetos, nomeadamente instituições e associações de cariz social e cultural no país e na diáspora, principalmente a Associação Mais Lusofonia, que pretendem desenvolver atividades interessantes dirigidas na melhor integração dos alunos e na procura de soluções que promovam uma inclusão social mais genuína de forma a minimizar os desafios com que se deparam no dia-a-dia. Estes objectivos vão ao encontro dos nossos objectivos, no sentido de que o nosso compromisso é trabalhar com a Associação “Mais Lusofonia” para tornar estes desideratos uma realidade, sublinhou Maria Clara Marques Rodrigues.

Por sua vez, Sofia Lourenço, presidente da Associação “Mais Lusofonia”, considerou importante o apoio da Câmara Municipal da Praia e que fazia sentido aproximar o inside de Portugal do mundo lusófono.

“A nossa associação tem membros ativos na sociedade civil e, apesar de estar sediada em Castelo Branco, tem uma abrangência nacional e internacional, privilegiando o mundo lusófono. O nosso objetivo é promover diversas iniciativas que visam a integração e intercâmbio de estudantes de diferentes nacionalidades que queiram instalar-se numa região que partilha a mesma língua, que é o português. Neste primeiro momento, vamos trabalhar em sintonia com a Câmara da Praia para ajudar os estudantes cabo-verdianos a melhorar o seu desempenho académico e a perceber melhor a cultura do país de origem e de acolhimento”, explicou Sofia Lourenço, que é também advogada, empresária e embaixadora social. em Portugal e no mundo.

Esta pessoa esteve em Cabo Verde em outubro de 2022, quando discutiu as atividades da Associação com os responsáveis ​​do município da Praia e da Embaixada do Brasil no país.

As autoridades prometeram o seu apoio

Durante a Gala da Associação, que decorreu na Quinta das Olelas, Retaxo, além de Maria Clara Marques Rodrigues, estiveram presentes outras autoridades que garantiram o apoio às actividades da Associação “Mais Lusofonia”, entre as quais Município de Castelo Branco, Leopoldo Martins Rodrigues; Presidente do Sindicato dos Serviços de Investigação e Fiscalização de Estrangeiros e Fronteiras, Acácio Pereira; António Fernandes, presidente do Instituto Politécnico de Castelo Branco; Jorge Pires, um dos responsáveis ​​pela Escola Profissional do Conservatório de Castelo Branco; Vivencia Ferreira Morais de Brito, Embaixadora e Cônsul Geral da República de Angola em Portugal; Carlos Santos, Vice-Cônsul da República de Angola em Portugal, além de associações e entidades culturais locais e nacionais como a Casa do Brasil – Terras de Cabral, representada pelo seu Presidente, João Morgado; e Adriano Machado e Ana Sofia Pires da Sociedade de Advogados Pinto Machado, com sede no Brasil e em Portugal.

Outro nome presente que aproveitou para falar sobre o regresso dos portugueses que estão no estrangeiro mas pretendem regressar para investir e viver no seu país, José Albano, administrador executivo do Ponto de Contacto para Regressos – Programa Regressar, informou que a Associação poderá contar com o apoio desta plataforma em suas atividades.

Agenda lotada

No mesmo dia, antes da Gala de Apresentação da Associação, no auditório dos Serviços Centrais Comenius e Presidium do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), Maria Clara Marques Rodrigues proferiu uma palestra sobre: ​​o papel da juventude na construção de liderança: como enfrentar os desafios?

Leave a Comment