Moradores denunciam presença de larvas, ácaros e carne podre em alimentos do Hospital das Clínicas da UFG

Alunos residentes do Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia, afirmam ter encontrado pelos, vermes e ácaros em alimentos servidos em restaurantes universitários. A unidade é operada pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que terceiriza o atendimento a alunos de pós-graduação e pacientes.

Uma moradora, que preferiu não se identificar, relatou POPULAR Os problemas começaram após a troca da empresa terceirizada produtora e fornecedora de pratos. A jovem conta que o primeiro episódio aconteceu com ela. “Em 24 de outubro de 2022, o frango da minha refeição parecia estragado e tinha um cheiro muito forte e parecia podre”, relata.

Na ocasião, a pós-graduanda apresentou queixa na ouvidoria e solicitou à nutricionista responsável que recusasse a alimentação, pois iria se alimentar em outro native. “Então, um colega encontrou um cabelo, outro encontrou um carrapato em uma alface e um terceiro encontrou larvas em um peixe. Esses episódios não foram no mesmo dia, foram eventos diferentes e com pessoas diferentes”, diz.

Manifestação

Segundo ela, todos os episódios foram relatados, mas as situações não terminaram e levaram a uma manifestação de moradores na última terça-feira (24) exigindo a mudança da empresa responsável pela alimentação. “Não podemos mais tolerar essa situação porque nossas vidas estão em perigo. Estamos em um hospital e não temos alimentação básica de qualidade”, enfatiza.

A pós-graduanda observa que “muitos” colegas deixaram de comer a alimentação oferecida e levaram a alimentação de casa. “Depois de reclamar, eles colocam um código QR para avaliar a comida, mas, apesar disso, achamos que é muito cedo para dizer que melhoraram”, diz ele. Ela explica que a empresa, por exemplo, não oferece cardápio de alimentação.

“Existem dúvidas sobre o horário e há uma dúvida sobre o cardápio que a antiga empresa deu há um mês, mas este não. Precisamos disso para nos programar porque pode haver alguém com alguma restrição alimentar. Além disso, se mudarmos de turno, vamos ficar sem comida porque meu nome não estará nas listas”, conclui.

Apoio, suporte

O Fórum Nacional dos Residentes de Saúde (FNRS) divulgou nota nas redes sociais sobre o indeferimento de denúncia de alunos da pós-graduação do HC. Em seu posicionamento, a entidade afirma que a mesma alimentação é servida aos pacientes, que a alimentação é de qualidade inadequada, que a empresa não oferece opções vegetarianas e que exige uso mais eficiente do “dinheiro público”.

Posicionamento

Uma nota do Hospital das Clínicas de Goiás informa que a empresa terceirizada Mais Sabor Gestão em Comida Ltda cuida da produção e fornecimento de alimentos. Informa-se ainda que uma equipa de nutricionistas da instituição verificou a cadeia de produção alimentar e considerou que as situações foram isoladas, mas consideradas graves.

Além disso, alega ter instaurado processo administrativo para apurar a responsabilidade da empresa e aplicar as penalidades cabíveis. “O Hospital das Clínicas de Goiás está tomando todas as medidas administrativas para regularizar a situação o mais rápido possível, reconhecendo a importância e relevância da segurança alimentar para pacientes, acompanhantes e residentes”, diz a nota.

O POPULAR contatou um consultor da empresa terceirizada Mais Sabor Gestão em Comida Ltda para solicitar um posicionamento sobre a reclamação dos moradores, mas fomos informados de que não se posicionariam.

Nota completa do HC/UFG

O Hospital das Clínicas de Goiás, em seu direito de resposta, faz manifestação pública sobre os fatos relatados por diversos perfis nas redes sociais relacionados ao fornecimento de alimentação para pacientes, acompanhantes, residentes e internos do HC-UFG/EBSERH. .

A produção e o fornecimento dos pratos oferecidos no âmbito do HC-UFG/EBSERH são realizados pela empresa terceirizada Mais Sabor Gestão em Comida Ltda, celebrada a partir de licitações abertas e documentadas.

Diante das infrações apontadas pelo gestor do contrato e pelos fiscais, foi imediatamente instaurado processo administrativo para apuração de responsabilidade e aplicação das sanções cabíveis à empresa contratada. Atendendo às normas constitucionais e legais, todo o processo de investigação exige a observância do contraditório e tutela suficiente sob pena da sua invalidação.

Informamos que, paralelamente, uma equipe de fiscais técnicos deste Estabelecimento, composta por nutricionistas, verificou toda a cadeia produtiva da empresa terceirizada, e também foram acordados ajustes no regime de produção. Pelo que foi constatado pela equipe técnica, as infrações são consideradas situações isoladas, mas tratadas com toda a seriedade exigida neste caso.

O Hospital das Clínicas de Goiás está tomando todas as medidas administrativas para regularizar o mais rápido possível, reconhecendo a importância e relevância da segurança alimentar para pacientes, acompanhantes e residentes.

Ressaltamos também que o HC-UFG/EBSERH é uma instituição que sempre prezou pela qualidade da alimentação oferecida aos seus usuários, residentes e internos, contando com uma equipe de profissionais nutricionistas, inclusive residentes em nutrição, que acompanham todo o processo de preparo , armazenar e servir refeições. Por isso, a direção da instituição buscou resolver o problema o mais rápido possível para levar uma alimentação segura e de qualidade para todos.

Leia também:

– O servidor denuncia que é alvo de racismo do chefe da corporação em Goianir.

– A OAB investiga a conduta de uma advogada que foi repreendida por dizer que “está na moda denunciar crimes sexuais”.

– MPC instaura procedimento de investigação para controlar acessibilidade em transporte público

Leave a Comment