Restaurante 100% sem glúten em Évora onde o pão é uma “obra-prima” – NiT

Restaurante 100% sem glúten Évora, onde o pão é uma “obra-prima”.

No Café d´Os Lusíadas, todos os pratos podem ser consumidos por pessoas com doença celíaca. O objetivo é trazer todos ao redor da mesa sem medo ou discórdia.

O pão é uma estrela e todos podem comê-lo.

Tentáculos à lagueiro, moelas de tomate, gambas ao caril e sapateira recheada. Todas as refeições são servidas no Restaurante Café d´Os Lusíadas, mas têm algo mais em comum. No entanto, poucos conseguem perceber isso – e Isabelle Oliveira já tinha provas. Mas aqui vamos nós.

O restaurante na rua que lhe deu o nome, a apenas dois quilómetros do centro histórico e das muralhas, é único em Évora (e em todo o país). Afinal, nem todos os dias você encontrará um lugar absolutamente seguro para celíacos.

Curiosa e inquieta, Isabelle, a fundadora, conta ao NiT que só descobriu seus dotes culinários em 2000. Nessa época, ela ainda estudava e começou a trabalhar na cozinha de uma marisqueira. A ideia period ajudar o chef e aprender como os pratos são preparados, mas ele rapidamente percebeu que tinha habilidades que poucas pessoas podem reivindicar.

“Através de cheiros e sabores, consegui chegar às receitas, mesmo que secretas, e nem estava presente quando eram preparadas”, conta. Sim, porque os molhos servidos no restaurante eram preparados secretamente por poucas pessoas.

Ela encontrou sua vocação, mas a vida forçou Isabelle a se afastar do serviço de bufê e mudar de ambiente. A paixão pela culinária, porém, não desapareceu em lugar nenhum – pelo contrário. E foi no momento em que se tornou cliente assíduo do restaurante nepalês que a vontade de trabalhar na área voltou a surgir. “Já fui tantas vezes que comentei com o dono do lugar, agora amigo, que posso replicar algumas de suas receitas.” E este acabou por desafiá-la.

Isabelle concordou e fez uma receita de karai de camarão e batata picante tão idêntica à authentic que até foi convidada para começar a trabalhar com a amiga. “Eu não aceitei. Minha vida pessoal foi organizada de outra forma, em uma área profissional diferente, e decidi não mudar.”

A ideia de construir um restaurante ficou com Isabelle, mas só mais tarde ganhou outro significado. Acostumada a provar os alimentos para aprender a cozinhá-los, começou a sentir dores e não conseguia mais comer. Tornou-se um sentimento agridoce parar de criar receitas baseadas no gosto, diz ela, principalmente porque não sabia o que se passava em seu corpo.

Aos 36 anos, veio uma explicação. Isabelle foi diagnosticada com doença celíaca, uma doença autoimune na qual o corpo reage exageradamente a si mesmo após a ingestão de glúten. uma proteína encontrada em cereais como trigo, centeio, cevada e malte. Resultado: pode causar danos ao intestino delgado.

Sem tratamento, a única solução seria eliminar o glúten da dieta. Uma dieta difícil para todos, principalmente para quem quer trabalhar com a comida e saboreá-la. No entanto, a amante da gastronomia não se deixou abalar e rapidamente começou a criar alternativas às receitas que já não podia comer. “Decidi que não viveria de forma limitada”, diz ela.

Em junho de 2022, teve a ideia de criar um negócio baseado no que foi inventado para tratar sua condição. O objetivo seria mesmo abrir um restaurante onde todos se sentissem seguros e pudessem comer sem barreiras.

Uma pessoa reconhecidamente muito ativa e envolvida em vários projetos, quando soube que o Café d´Os Lusíadas estava livre e pronto para assumir uma nova equipa, arriscou. Como as matrículas nos cursos de enfermagem estavam pagas, na véspera da partida para Setúbal decidiu arquivar o plano de fazer o ensino superior noutra área e transformar este departamento num restaurante.

Isabelle tomou o nome Lusíadas e baseou-o na atmosfera do espaço. Portanto, não é por acaso que tantos livros fazem parte da decoração tradicional da casa de número 28, no bairro de Bachelo. Alguns meses depois, o projeto foi concluído e, em 3 de agosto, ele finalmente abriu o que promete ser uma experiência culinária totalmente sem glúten.

Sim, porque, embora poucos se apercebam, este restaurante não dispõe de produtos com esta proteína vegetal. Aliás, nos primeiros dias de funcionamento, a responsável relata que só revelava a funcionalidade depois de os clientes terem terminado a refeição. As reações foram unânimes: “Eles ficaram muito surpresos porque a comida estava muito saborosa e você não percebeu que estava diferente”.

Sempre inventiva, Isabelle diz que não tem cardápio fixo. Quem lá vai encontra tanto a comida tradicional alentejana – como as bochechas com molho de noz-moscada (9,60 euros) e o arroz de marisco (16 euros) – como pratos da autoria dela, a chef do restaurante e a única que cozinha. Um ninho de camarão frito com molho de manga (€15) é um dos exemplos mais populares.

No entanto, o pão rústico (16€ por 1,5kg) merece os maiores elogios. Esta é uma receita secreta que foi totalmente desenvolvida pelo autor do projeto e, claro, completamente sem glúten. É ela quem o considera uma “obra-prima”.

Existe ainda a opção de telefonar com antecedência (contacto 926 286 971) e fazer pedidos exclusivos, como as migas feitas com este pão, prato difícil de encontrar noutro native e seguro para celíacos.

O restaurante Café d´Os Lusíadas tem capacidade para 40 pessoas e está preparado para jantares de grupo. Todos os ingredientes são de origem controlada e todas as opções do menu são 100% sem glúten. O objetivo é um só: quebrar o estigma de que a alimentação de quem sofre dessa intolerância alimentar é diferente.

Luciadas quer juntar família e amigos à mesma mesa e sem desentendimentos – independentemente de terem ou não doença celíaca. “Quem é intolerante ou alérgico ao glúten não precisa perguntar a todo o cardápio o que pode e o que não pode comer, pois todas as opções são adequadas”, garante a responsável.

Clique na galeria para conhecer algumas das ofertas deste restaurante único em Évora.

Veja a galeria

“>

Estrela em casa.

Leave a Comment