Restaurante móvel de 12m que serve petiscos à volta do Alentejo – NiT

Um restaurante móvel de 12 metros que percorre o Alentejo e serve refeições ligeiras.

A ideia surgiu de uma brincadeira entre mãe e filha, e o título diz muito sobre o projeto, que muda de native a cada duas semanas.

Desmonte toda essa aventura.

Os ônibus voltados para casa já existem há alguns anos e, embora seja incrível acordar todos os dias com uma nova vista, eles estão se tornando mais comuns. Mas quando se trata de cozinhar diariamente em um novo lugar, a conversa é diferente. Tanto Tatiana Farias como Ana Paula Margarido sabem bem disso. Eles sabem disso, e quem vir um restaurante sobre rodas cairá em suas terras.

“As pessoas sempre ficam muito surpresas e tentam entender como tudo cabe em um ônibus”, começa Tatyana, 24 anos, contando uma história. Apenas dentro não é apenas uma cozinha de seis metros. O veículo de 12 metros conta ainda com balcão, banheiro e pelo menos mesas que acomodam até 14 clientes no whole. E para aumentar o fator surpresa, um terraço com dois na cobertura também foi planejado.

Este é o Restaurante Sobre Rodas e o nome já diz muito sobre o conceito. Da autoria de Tatiana e da mãe Ana Paula, de 46 anos, este é um espaço móvel que circula por alguns locais do concelho de Odemira. O objetivo é um só: oferecer aos seus clientes uma experiência inesquecível, ao mesmo tempo que promove o inside do país, que não tem muitos restaurantes.

“Em um restaurante estacionário, só poderíamos estar em um lugar, ou seja, atenderíamos apenas essa população. Com esses meios, podemos atingir vários pontos”, diz o empresário. A ideia surgiu de uma brincadeira acquainted aquando do anúncio do concurso Espírito Empreendedor 2019 promovido pelo município de Odemira.

A experiência de Ana Paula como chef com mais de 25 anos de experiência como chef e a formação em gestão de Tatiana fizeram com que o projeto fosse escolhido, felizmente para ambas, na categoria de planos que podem ou não ser executados.

“Depois da vitória, minha mãe decidiu apoiar essa ideia e começou o processo de buscar como poderíamos transformar o ônibus. Inicialmente, nosso objetivo period mudá-lo, mas rapidamente percebemos que isso não period possível.” Então eles encontraram uma empresa que lhes vendeu um carro já convertido. “Durante este processo, falámos como queríamos, e deram-nos um autocarro um ano depois”, período que durou mais do que o previsto, também devido à pandemia e à falta de materiais, conta a rapariga NiT. .

Para além do espaço inside e do piso superior, o Sobre Rodas oferece também os seus pratos típicos alentejanos na esplanada situada mesmo em frente à viatura. Com tantos itens, você já pode imaginar o controle necessário para montar e desmontar cada vez que eles mudam de native. Um cenário que acontece a cada duas semanas.

Entre limpar as coisas, arrumar a loiça e limpar a esplanada, “é sempre uma aventura”, admite Tatiana. Este é um processo que leva um dia e é sempre realizado às terças-feiras, dia de descanso dos funcionários. A viagem é essencialmente feita na noite anterior para que, assim que cheguem à próxima paragem, estejam prontos para o serviço às 11h00 de quarta-feira.

O percurso, o mesmo, já está previamente planeado. “Temos autorização da Câmara Municipal para ocupar espaços públicos, por isso já está tudo acordado.” Porém, o cartão pode sofrer algumas alterações, por exemplo, caso haja convites para participação em feiras.

O que também está mudando é a alimentação servida. Em vez de injeções regulares no estômago (4€), os camarões à Brás (7€) ou os mexilhões à espanhola (7,50€), os pratos estão pensados ​​para serem partilhados como entrada. Isto deve-se ao facto de os idealizadores do projeto terem percebido que não existem muitas ofertas deste tipo de modelos em Odemir. “Dessa forma, nossos visitantes podem experimentar vários pratos diferentes ao mesmo tempo”, acrescenta.

Mesmo com a sopa de camarão servida em pão alentejano (€12,50), os ovos rotos (€9,50) são os mais populares. E a Ana Paula é a responsável por isso. Durante a semana, no inverno, apenas o chef fica na cozinha do restaurante. Ela também procura priorizar os produtos locais usados ​​nos lanches.

A adaptação, porém, não foi fácil. Habituada a trabalhar em grandes espaços e por conta de outrem, teve de se adaptar a uma nova realidade. Um onde tudo é muito menor. “Mas nada o impede de servir quase o mesmo número de pratos que naquelas cozinhas.” E o resultado não poderia ter sido melhor.

“Tínhamos medo que as pessoas parassem de nos procurar porque estávamos sempre mudando de native. Mas é muito authorized porque eles acabam nos seguindo.” Assim, o objetivo é alcançado: poucas pessoas vão para lugares menos movimentados. Foi exatamente isso que aconteceu na semana passada. Sobre Rodas mudou-se primeiro para São Luís (freguesia do concelho de Odemira), native que, por não o conhecerem tão bem, deixou mãe e filha reticentes. No entanto, o suggestions é positivo.

“Tínhamos muito em comum e algumas pessoas nos agradeceram por estarmos aqui. Afinal, este é um native onde pouco se faz e os negócios têm trazido visitantes”, garante a jovem.

Por enquanto, o Sobre Rodas será apenas em Odemir, mas Tatiana e Ana Paula já analisam algumas propostas para outros municípios. Pode seguir o percurso através das redes sociais da marca. No futuro, existe a possibilidade de novos restaurantes nos autocarros, mas esta é uma ideia que vai demorar. “Estamos abertos há apenas seis meses. Neste momento, o foco está no planejamento para o próximo inverno”, conclui.

Clique na galeria para conhecer este restaurante único no país.

Veja a galeria

“>

Aparência fala por si.

Leave a Comment